terça-feira, 1 de novembro de 2011

- A IMPORTÂNCIA DA FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO PARA O DESEMPENHO FÍSICO

Por definição a fisiologia do exercício é a ciência que estuda o comportamento e o rendimento do corpo humano, suas alterações estruturais e funcionais sob condições de esforço ou exercício.   É a análise dos vários sistemas e órgãos do corpo durante o exercício físico, seja na secreção de hormônios como adrenalina e insulina, no consumo de oxigênio e produção de CO2 ou ácido lático.  A fisiologia do exercício ensina como aumentar o condicionamento físico sem levar o praticante ao estado de fadiga, não apenas evitando acidentes, como também verificando e norteando o andamento do treinamento físico.
            É de extrema importância que o fisiologista do exercício seja graduado em educação física ou ciências do esporte com grande conhecimento em atividade física, treinamento e prescrição de exercício. Os temais profissionais tais como; fisiologista cardiovascular, bioquímico, nutricionista, fisioterapeuta, pneumologista que por sua vez realiza teste de esforço para melhor avaliar as alterações na doença pulmonar obstrutiva ou qualquer outro da área médica, mesmo que esses profissionais tenham interesse no estudo do treinamento físico, não podem ser considerados como fisiologistas do exercício, e mesmo com uma pós-graduação em fisiologia do exercício não podem prescrever treinamento físico sem conhecimento de como o exercício influencia os múltiplos sistemas fisiológicos com experiências teóricas e principalmente práticas que são obtidas apenas nas graduações em educação física e ciência do esporte com especificidade.
            A fisiologia do exercício oferece um maior conhecimento para o educador físico e cientista do esporte na prescrição do exercício nos casos de doenças coronarianas, hipertensão, diabetes, osteoporose, deterioração músculo-esquelética, fibromialgia, artrite reumatóide, redução da concentração sérica de colesterol entre outras patologias, ajudando no tratamento ou na prevenção.
            Oferece também um maior conhecimento e segurança na prescrição do treinamento para gestantes, crianças, adolescentes, idosos, obesos, atletas e não atletas (pessoas que praticam atividade física com grande nível de intensidade, mas não participam freqüentemente de competições).

Referências:

MCARDLE, W. D. et.. al. Fisiologia do Exercício : energia, nutrição e desempenho humano. Quinta Edição. Rio de Janeiro, Editora Guanabara Koogan S. A. 2003.
KATCH, F. I. & MCARDLE, W. D. Nutrição, Controle de Peso e Exercício. Segunda Edição. Rio de Janeiro, Editora Medsi, 1984.
LUCCHESE, F. & CASTRO C. N. Desembarcando o Sedentarismo.Quarta Edição. Porto Alegre, Editora L&M, 2005.
ROBERGS, R. A. & ROBERTS, S. O. Princípios Fundamentais de Fisiologia do Exercício: para Aptidão, Desempenho e Saúde. São Paulo, Editora Phorte, 2002.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário